DIY, ou, metendo a mão na massa

Entre as diversas alegrias que 2016 me trouxe, a de <strong>produzir alguns de meus produtos de higiene/cosméticos</strong> foi uma das maiores.

Acredito que deva ser a mesma satisfação de quem costura sua própria roupa, faça suas próprias bijus, enfim, faça algo com as próprias mãos. É inacreditável o quanto isso é recompensador.

<!–more–>

No começo do ano eu participei de uma oficina lá no <a href=”https://www.facebook.com/Das-Nuvens-550449005057916/” target=”_blank”>Das Nuvens</a>, orientada pela Vero. Ela nos ensinou a produzir desodorante, pasta de dente (!!!) e esfoliante corporal. Até então eu, como você, provavelmente, comprava tudo isso pronto em farmácias e mercados. Um pouco antes da oficina eu descobri que os esfoliantes industriais são feitos muitas vezes com microesferas plásticas para obter aquele efeito abrasivo. Como elas são muito pequenas, não são filtradas pelo sistema de tratamento de água e chegam nos rios, onde os peixinhos as ingerem.

<img class=”” src=”https://babyriodistribuidora.com.br/wp-content/uploads/2013/12/p-2192-501t_-_nemo.jpg” alt=”Resultado de imagem para nemo” width=”580″ height=”416″ /> Imagina um peixinho pequeno e indefeso qualquer (eu peguei essa imagem de um peixe desconhecido e aleatório apenas para ilustrar o texto…) comendo plástico e morrendo!

Então quando surgiu a oportunidade de fazer alguns desses produtos eu mesma, com ingredientes naturais, não hesitei. E olha, foi uma das coisas mais legais que eu já fiz. É tipo cozinhar.

Tem um episódio de Friends em que a Phoebe está trabalhando com a Monica em um buffet que elas montaram. E a Phoebe diz algo como: ‘Não é incrível que antes tudo isso era só um monte de ingrediente?’. Phoebe, o símbolo da sapiência, está certíssima.

<img class=” aligncenter” src=”https://media0.giphy.com/media/XWZi4377aAp7a/200_s.gif” alt=”Resultado de imagem para phoebe gif” width=”455″ height=”200″ />

Tudo era um monte de ingrediente, até que a nossa intervenção transforma aquilo em outra coisa. Assim como a fabricação dos produtinhos de higiene, a cozinha tem sido outro local de descobertas. Já comentei que tenho problema com leite (com a proteína mesmo, produtos sem lactose não resolvem) e ainda tenho síndrome do cólon irritável. Ou seja, eu tenho restrição a uns 400 tipos diferentes de alimentos. A melhor solução é eu preparar minha própria comida, o que venho fazendo. Comprei dois livros de receita (sem glúten, sem lactose, sem açúcar) e volta e meia faço uma das receitas indicadas lá. O Gui também me ajuda e testamos tudo juntos, adaptando o que precisa.

Esse processo todo para mim foi fundamental porque me pareceu uma forma de me <strong>reapropriar da vida</strong>, de me conectar comigo e com as coisas ao meu redor – o que eu como, o que eu passo no meu corpo, nos meus cabelos, na minha pele, o que eu deixo fazer parte de mim -, assim como uma chance de experimentar mais, de sair do meu lugar-comum. Eu sei que a rotina, a pressa, o cansaço e mais uma infinidade de outras coisas nos impedem muitas vezes de fazermos isso: de cozinhar, de malhar, de cuidar do nosso jardim, enfim, fazermos o que nos agrada. <strong>Mas é engraçado como às vezes as coisas para as quais não temos tempo são as que deviam vir em primeiro lugar</strong>.

&nbsp;

No próximo post eu publico as receitas do desodorante, do esfoliante e da pasta de dente e falo um pouco mais sobre cada um deles. = D

[Se vc tiver receitinhas suas e quiser compartilhar, por favor, não hesite em escrever!]

0

Clique no botão abaixo para seguir o Vivendo à Vista! e receber notificações via RSS
rss

Você pode gostar também

Sem comentários

Deixe uma resposta