Minha experiência em um coworking

Já passei três meses trabalhando em um coworking, por isso consigo compartilhar algumas conclusões e dicas para quem está pensando em seguir o mesmo caminho.

Vale lembrar que o relato tem muito a ver com o lugar específico em que trabalhei e com algumas demandas minhas, mas ainda assim, espero que ajude aqueles que ponderam se buscam ou não um espaço desses para trabalhar.

Coworking pra quê?

Muita gente veio me perguntar como era trabalhar em um coworking e se valia a pena. Essa resposta depende muito do motivo que o leva a buscar esse espaço: você recebe muitos clientes por causa do seu trabalho e precisa marcar várias reuniões? Precisa de um endereço comercial ou promove cursos e palestras? Ou só não aguenta mais trabalhar sozinho em casa e precisa de mais interação social do que aquela que você tem com seu porteiro? Se respondeu sim para alguma das perguntas, provavelmente o coworking é o local indicado para você.

Qual escolher

Resultado de imagem para four coworking

Welcome!

Imagem.

Eu trabalho no Four Coworking (em Curitiba, na Getúlio Vargas) e vou ser bem honesta: escolhi acima de tudo pela localização. Não tenho carro e não tava a fim de pegar ônibus toda hora, por isso, quando descobri esse lugar perto de casa (1,5km de distância, é bem perto) não hesitei em ir lá conhecer. Se você tem carro, esse pode não ser um ponto para você. Se, novamente, você recebe clientes, um local mais central pode ser mais indicado. Se seu foco é networking, um local que promova cursos e outros eventos pode ser um diferencial. Avalie sua necessidade e veja qual coworking está mais habilitado a saná-la (e não estourar seu orçamento).

De mala e cuia I

Lembre-se do tipo de trabalho que você executa ao pensar em ir para um coworking. Caso você só precise do note e de uma boa conexão de internet, tudo fica mais fácil. Como eu trabalho com edição e produção de livros e materiais didáticos, a necessidade de consultar um livro vez ou outra surgia. E os meus livros estavam em casa, óbvio. Com isso, eu deixava muita pendência para resolver em casa. Então esse é um ponto a se pensar: se você precisa de uma estrutura X, é possível deslocá-la para seu novo ambiente de trabalho? Em caso negativo, é possível prosseguir com as atividades sem tal estrutura? Dependendo do caso vale a pena pensar em alugar uma sala dentro do coworking, para instalar tudo que você precisa.

cafe

Área coberta para cafezinho e reuniões.

De mala e cuia II

Meu deslocamento para o coworking é todo feito a pé. Eu levo uma mochila com tudo que preciso, do note até a caneca para o chazinho da tarde. E aí eu descobri o quanto meu computador pesa. Como antes eu trabalhava em casa, nunca me atentei pra isso, mas quando passei a levar todo meu equipamento nas costas, vi que minha coluna não ia sobreviver muito tempo com o peso de um note de 15 polegadas. Lembre-se de que quanto mais portátil você for, melhor. Lembre-se também de que se você tem um carro, a situação já facilita bastante e isso talvez não seja um problema para você (mas não custa lembrar)…

Novos velhos problemas

Sair de casa para trabalhar pode ser uma delícia, pois ao seu redor você finalmente tem pessoas. Mas também pode ser um saco de vez em quando por que ao seu redor você tem pessoas. Pessoas que às vezes falam alto, que falam no telefone, que de uma forma ou de outra podem atrapalhar seu rendimento. Não foi exatamente em busca disso que você saiu do conforto do lar para trabalhar, mas faz parte do pacote. É engraçado como isso nos pega no começo, mas driblar esses eventuais incômodos faz parte de socializar. Deal with that.

corredor

Por dentro. O Four tem diversas artes, fotos e recados espalhados pelo espaço.

Comprometimento

Pra começar, eu escolhi fazer um teste de três meses frequentando o espaço. Peguei o plano com a menor quantidade de horas por mês para ver como me comportaria (pode ser uma dica válida para o início, até para você conhecer sua real demanda de horas. Com o tempo você ajusta). Mas eu sou uma pessoa que, no geral, gosta muito de ficar em casa (eu tenho uma alma de oldinha, não posso evitar), então eu me via muitas vezes sabotando a ida ao coworking: “hoje está frio”, “hoje está chovendo”, “hoje está frio and chovendo”. Se você é assim também, lembre-se de que o deslocamento até o local de trabalho é um compromisso que você assumiu consigo, e que ainda investiu $$$ nisso, portanto, sempre que possível, não fure.

Rendimento

Finalmente, se tem algo que não posso questionar é que o rendimento do trabalho no coworking é fantástico. Fantástico! Eu trabalhava em casa com meus três gatos à minha volta, e às vezes é difícil digitar quando seu gato deita no seu teclado ou quer comer o fio do seu mouse. Sem essas distrações o trabalho flui muito mais. O fato de que você está em um local pagando por hora também o leva a aproveitar o máximo do momento em que você está lá.

mesa

Mesa de trabalho dos coworkers.

Dicas finais

  •                 Pode ser interessante pensar no coworking também caso você trabalhe com uma pequena equipe e precise de um local pra reunir todo mundo, dá pra alugar as salas de reunião para eventos ocasionais.
  •                 Se você não é o mestre do networking, pode ser uma boa convidar um amiguinho pra passar uns dias trabalhando com você (se a pessoa puder, claro) pra te ajudar a quebrar o gelo e se ambientar melhor.
  •                 Participe dos eventos que o local promove. Parte da graça é justamente sair da rotina, conhecer pessoas e estabelecer novos contatos ou aprender coisas novas. Lá no Four, além dos cursos, eles também oferecem aulas de Tai Chi e de meditação, por exemplo. ;D

Se ainda está na dúvida se isso é ou não pra você, eu diria que você deve tentar – você pode descobrir que não é sua praia, mas também pode adorar a experiência. Faça um teste de um mês e veja como você se sai. Além do Four (que dá desconto para coworkers em alguns eventos feitos lá), eu conheço e indico a Casa 102, que vale muito a pena se você procura um espaço colaborativo ou se produz roupas/artesanato/outros produtos e quer montar sua oficina e ter um local de exposição dos produtos ao mesmo tempo. Aproveitando, pra quem quiser conhecer, terá um bazar maravilhoso por lá no dia 17, próximo sábado. Se puder, cola lá.

 

Se você já trabalha em um coworking e quer dividir suas impressões, fique à vontade. E se você ainda tiver dúvidas sobre o assunto, não deixe de escrever.

 

*Esse post não foi patrocinado de forma nenhuma, só para esclarecer.

**Nunca escrevi tanto a palavra ‘working’ na minha vida de uma vez só. = P

*** Obrigada ao pessoal do Four que me dá balas de goma sempre que possível e que liberou o uso das fotos para acompanhar esse texto.

0

Clique no botão abaixo para seguir o Vivendo à Vista! e receber notificações via RSS
rss

Você pode gostar também

Sem comentários

Deixe uma resposta