Pare de poupar, comece a investir

Quando a empresa em que eu trabalhava faliu, fiquei três meses sem receber $$$ até as contas serem acertadas. Nesse meio tempo eu arranjei freelas e depois montei minha própria empresa. Quando, finalmente, o acerto foi feito, eu tinha uma graninha boa nas mãos e veio a dúvida: o que fazer com o dinheiro?

Naquele momento, 2012, eu e Gui decidimos investir e deixamos o $ em um CDB de um banco privado laranja (u know?). Nós sempre falávamos em investir, mas não nos mexemos muito pra entender como a coisa funcionava. O dinheiro no banco rendia menos do que esperávamos e as taxas administrativas eram altas, por isso vimos a importância de nos educarmos financeiramente.



Por isso fizemos um curso chamado Cultura de Bolso (da Kaminski Avalca – eles mudaram de nome, agora são 4blue) que, juro, mudou nossas vidas! (pausa dramática)

O curso era bem simples e básico, mas pra quem não tinha muito conhecimento da área, foi fundamental. Eles nos mostraram que:

  • Acima de tudo, é importante constância quando falamos em investir: o lance não é investir uma vez e ver o dinheiro render; é preciso ajudar esse montante alimentando-o periodicamente para que ele fique gordinho. Juros sobre juros, gente, vamos ajudar isso aí! (Gui falou que aprendeu nesse curso que era possível juntar dinheiro e ter um milhão de reais antes de morrer e focou nisso, ahahaha.)
  • Também é fundamental controlar os gastos, anotar as despesas e rastrear até os menores centavos para saber exatamente com o que você gasta e em que áreas é possível reduzir o orçamento.
  • Ainda mostraram a diferença entre ativo e passivo, lembrando que muita coisa que julgamos investimento (carros, eletrônicos etc.) na verdade são passivos. Eles não fazem sua renda crescer, não trabalham por você, portanto… (e foi com isso que eu e Gui decidimos de vez não ter carro, que é basicamente só um passivo para a maioria das pessoas. Usamos ônibus e vez ou outra contamos com a carona amiga dos vizinhos do Portão Soho – obrigada, gente!)
  • Eles também mostraram aplicações muito mais rentáveis do que a poupança, como o Tesouro Direto. ;D

Tempos depois fomos atrás do Tesouro Direto e caímos em uma corretora, que ministrou uma palestrinha sobre esse investimento e decidimos apostar nisso – e também em um fundo e em uma LCA. Veja, entre ter o dinheiro, em 2012, e chegar nisso, foram 3 anos. É tempo, mas é importante saber o que se está fazendo, pra fazer as escolhas que combinam com o seu perfil e garantir o melhor investimento para si.

Como falou o Gui: o mais importante de investir acontece antes de investir. O que te faz investidor não é ter dinheiro investido, mas sim ter a mente de investidor, é o pensamento de juntar dinheiro e aplicar (periodicamente) pra fazer o capital crescer.

É válido lembrar que, diferente do que muita gente pensa, não é preciso ter um monte de dinheiro pra começar a investir. O Tesouro Direto aceita investimento mínimo de R$30 (ou 0,1 do valor do papel). Se você está na casa dos 25, 30 anos, há pelo menos 30, 35 anos de bons investimentos pela frente. Informe-se, leia, e mais importante, saia da poupança, com a qual você perde dinheiro riqueza.

Você sente alguma dificuldade para investir? Tem dúvidas sobre o assunto? Não sofra sozinho: escreva o que te aflige, vamos nos ajudar!

0

Clique no botão abaixo para seguir o Vivendo à Vista! e receber notificações via RSS
rss

Você pode gostar também

Sem comentários

Deixe uma resposta